Artigos - Buscas     -     clique nos logos para entrar nos sites:
  www . webinsider . uol . com . br / ......

    Buscas avançam no ambiente corporativo



    03 de dezembro de 2005, 0:00
    O modelo atual de busca será em breve substituído nas empresas por um outro, ligado à gestão do conhecimento, que indique resultados relevantes automaticamente e os ofereça prontamente em contexto.
    Por Saulo Figueiredo

    O sucesso extraordinário dos buscadores, em sua maioria, hoje é sustentado por duas máximas:

    1. Encontrar informações em grandes volumes nunca foi tão importante e necessário como em nossos dias.

    2. O sucesso dos buscadores web está ancorado em um frágil modelo pull de acesso à informação, que exige a visita ao local ou site de busca. Exige também que o usuário declare por escrito o que necessita à ferramenta. É fácil concluir que este segundo axioma tem a sua perpetuação ameaçada enquanto modelo.

    A superação da busca convencional resultará na exploração de enormes oportunidades.

    A idéia de sempre ter que escrever para a ferramenta de busca o que é preciso está, em grande parte, com os dias contados no mundo corporativo, onde se espera a substituição do modo antigo de pesquisar.

    Empresas compradoras deste tipo de solução passarão a acompanhar e desejar este tipo de evolução nas plataformas de busca do mercado. Vão preferir aquelas que permitam superar e por vezes substituir o processo de busca convencional, considerando que esta mudança pode gerar um impacto muito satisfatório na produtividade.

    Enquanto os softwares de buscas convencionais se esforçam para conseguir que as pessoas encontrem as informações a partir de velhos métodos, baseados em pedidos (palavra chave), uma nova geração deles substitui literalmente os processos de busca por automação, garantindo que as informações se antecipem e encontrem proativamente as pessoas (antes que saiam à procura delas) em função dos seus problemas, necessidades, contextos e perfis, tudo automaticamente.

    Paradigma em superação

    Embora na web o modelo tradicional de busca tenda a se perdurar por mais tempo, no ambiente corporativo o embrião que ameaça o domínio do antigo modelo já nasceu. A busca convencional, encarada como um paradigma, já foi superada. É realidade já para algumas empresas de software.

    Esta idéia inovadora que deve se propagar muito rapidamente pelo mundo corporativo, antes mesmo que a grande maioria das organizações tenha adotado uma plataforma de busca da antiga safra, chega em boa hora.

    Isso porque o grande volume de informações não estruturadas úteis aos negócios supera em muito a capacidade das empresas e pessoas em organizá–las adequada e manualmente e em recuperá–las quando precisam delas.

    Além disso, o volume de informações não estruturadas úteis aos negócios chega a atingir 80% do total das informações relevantes nas companhias. A maioria das empresas apenas explora a informação estruturada, residente em banco de dados, e não tira proveito do enorme potencial (80%) que o restante representa.

    No ambiente corporativo, encontrar as informações rapidamente quando se precisa delas é em si um diferencial competitivo com potencial para construir muitos outros. Felizmente, hoje já é possível projetar soluções que substituem as buscas. É possível, por exemplo, manter taxonomias automaticamente munidas com conteúdos relevantes, monitorar ambientes informacionais internos e externos (internet) e extrair deles apenas informações relevantes, fazer alertas em temas de interesse e eliminar completamente a necessidade de classificação manual de documentos.

    Estas ferramentas de última geração conseguem criar agrupamentos automáticos de informações em temas de interesse e relevantes aos negócios, funcionalidades que alavancam enormemente a aprendizagem organizacional. Só para se ter uma idéia do potencial da eliminação da busca no contexto corporativo, veja os exemplos a seguir:

    Integrado ao e–mail e ou ao instant messaging (IM)

    Imagine agentes inteligentes plugados na atuação dos usuários. Ao editar um e–mail ou a ferramenta de instant messaging o software é capaz de se antecipar de acordo com o conteúdo do texto e sugerir (sem invadir ou atrapalhar) ao usuário, documentos relacionados ao corpo da mensagem e informações provenientes do universo de fontes relevantes, previamente determinado pelo administrador do serviço.

    Estas informações incluem aplicações internas, sites da internet, intranets, extranets, e–mails arquivados, diretórios compartilhados em servidores e desktops, aplicações de GED, CRM, ERP em documentos de qualquer formato.

    O interessante é que a sugestão de conteúdo relacionado ocorre no tempo da edição da mensagem (IM e e–mail), antes que seja enviada. Além da agregação automática de conteúdo, a interpretação em tempo real pode, inclusive, evitar a saída de mensagens indesejadas da instituição.

    Editando um texto

    Veja que sofisticação! Ao digitar um relatório sobre determinado assunto, um agente integrado ao editor de texto em uso e conectado ao universo de informação de interesse corporativo passa a oferecer ao usuário (sem invadir) informações relacionadas ao texto em construção. Tudo em tempo real, permitindo a consulta de documentos encontrados automaticamente, que são constantemente refinados em função da evolução do teor do escrito.

    Hiperlinking automático

    Ao clicar e comandar a apresentação de um texto relacionado, sugerido pelo agente inteligente de software e encontrado sem o processo da busca convencional, além do documento solicitado, o usuário receberá do software uma lista de links para acesso a outros documentos. Isso permite constantes refinamentos, a montagem de novas amostras de documentos e a localização dos textos mais relevantes à conclusão do trabalho ou desafio. Este tipo de operação caracteriza o ?More Like This? automático e o hiperlinking ou a agregação automática a partir de clicks.

    Agrega automaticamente a partir da web

    Ao ler páginas na internet ou na intranet corporativa o software coleta, organiza e agrega outros conteúdos relacionados, provenientes de outras fontes, todos vinculados ao tema da sua leitura de interesse naquele momento.
    Clique no link acima para ver o artigo na integra.




  www . helpers . com . br / .....


    O Poder da Informação nas Vendas
    Cláudio Moreira
    Segundo o professor de marketing da Ohio State University, Roger Blackwell, o processo de decisão de compra segue seis etapas, apresentadas abaixo:
    1- O consumidor identifica a necessidade ou o problema;
    2- Busca informações para encontrar aquilo que satisfaça a sua necessidade;
    3- Avalia opções disponíveis em função da importância que confere a certos atributos ou benefícios do produto ou serviço;
    4- Realiza a compra propriamente dita - e há fatores que influem neste momento, como a facilidade e a rapidez para efetuar a transação;
    5- Utiliza o produto ou serviço. Este estágio é que produz satisfação ou insatisfação, que pode ou não construir fidelidade;
    6- Tem um potencial de "desinvestimento", em face de questões ambientais ou sociais que envolvam o produto/serviço ou a empresa.

    Pois bem, gostaria - com base nas etapas apresentadas acima - analisar um caso de prestação (ou "não prestação") de serviços que aconteceu comigo. Eu tenho um cão, Cocker Spaniel e como todo cão, precisa de cuidados que confesso, não sou muito fã de executar como banhos semanais e etc...Pois bem, para estes casos as pet shops aparecem como uma mágica solução, basta entregar o cão e recebe-lo limpo e cheiroso sem ter tido trabalho algum. A pet shop em que meu cão é tratado possui um plano de pagamento mensal que inclui tosa e banho, pega o cão em casa e devolve. Uma maravilha. Apesar desta comodidade, não tenho estado satisfeito com alguns aspectos deste serviço, portanto resolvi pesquisar se outras pet shops possuem a mesma facilidade.

    Como o consumidor descrito por Blackwell, identifiquei a necessidade de mudar de pet shop e fui buscar informações para encontrar aquilo que satisfizesse minha necessidade. O processo poderia continuar, não fosse por um detalhe. Informação. Liguei para primeira pet shop e perguntei sobre a existência de um plano de pagamento mensal. A resposta foi: "A tosadora não está aqui hoje, ela é quem tem as informações". Incrível, vamos para a segunda pet shop. Mesma pergunta com resposta variada: "Plano mensal? Tem sim, só um momento...". Alguns segundos depois, "Olha, que tem eu sei que tem, mas a menina que conhece já foi, liga amanhã". Vamos à terceira, mesma pergunta com resposta quase idêntica: "Plano? Olha eu até acho que tem... faz o seguinte, me dá seu telefone e eu retorno". Vocês acham que ele ligou? Mais um detalhe, nenhum dos 3 ao atender o telefone identificou-se como sendo da pet shop em questão, todos atenderam com um seco alô!

    A corrente de Blackwell foi quebrada por um detalhe simples, mas que toma proporções gigantescas numa operação de serviços, a informação ao consumidor. É cada vez maior o número de estabelecimentos de serviço que dizem preocupar-se com o cliente, esforçar-se para agradá-lo e possuir uma equipe ansiosa para prestar um grande serviço. Quando uma empresa apresenta a seus clientes uma contradição entre a afirmação de que se preocupa com o serviço e a realidade experimentada pelo cliente, é quase certo que se deve ao fato de que os executivos adotaram uma visão simplista da prestação de serviço ao cliente. Informação é uma arma importante, um componente fundamental da boa prestação de serviços. Se este detalhe passa desapercebido, imagino o restante da operação como deva ser realizada.

    Deixe que a corrente acima chegue até o final, dê informações corretas e consistentes a seu cliente, caso contrário, sua chance de fidelizá-lo no passo 5 estará irremediavelmente perdida.
    Clique no link acima para ver mais




  www .





  Anúncios Gerais:
  www .




.